Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gosto da escola!

Blogue da Escola Básica de Coucinheira. Para dar uma espreitadela ao que por cá fazemos e perceber por que razão gostamos tanto da nossa escola!

Gosto da escola!

Blogue da Escola Básica de Coucinheira. Para dar uma espreitadela ao que por cá fazemos e perceber por que razão gostamos tanto da nossa escola!

Os amigos do ambiente

ebcoucinheira, 25.11.11

     Os alunos dos 3.º e 4.º anos tornaram-se nuns belos "fabricantes de histórias"!

     Leiam com atenção a última que escreveram e verifiquem como isto é verdade!

     Chama-se "Os amigos do ambiente" e nela entram todos os alunos e professoras.

     Ora vejam!

 

Os amigos do ambiente

     Era uma vez um golfinho muito brincalhão que vivia no mar de uma praia tropical.

     Certo dia, o golfinho começou a reparar que no local onde ele e a sua família costumavam nadar começou a juntar-se algum lixo. No dia seguinte, a quantidade era ainda maior e alguns animais marinhos começaram a adoecer: as tartarugas pensaram que o lixo era comida e ficaram com uma grande dor de barriga, um cavalo-marinho ficou ferido porque ficou preso numa garrafa de água e alguns peixes morreram asfixiados com sacos de plástico. Ninguém sabia o que se estava a passar…

     O golfinho e a sua família decidiram afastar-se daquele lugar, para não lhes acontecer o mesmo. Pelo caminho, o golfinho encontrou uma bola de praia muito colorida e, como era muito brincalhão, não resistiu e pôs-se a brincar com ela.

     Como a família ia muito apressada para não ser apanhada pelo lixo, nem reparou que o golfinho tinha ficado para trás. Quando se aperceberam, começaram a procurá-lo mas, de repente, ficaram cercados por vários tipos de lixo: garrafas de sumo, latas de Coca-cola, caixas de cereais, sacos de plástico, pilhas, pacotes de leite, embalagens de iogurte, jornais, revistas, etc.

     A mãe do golfinho disse, aflita:

     - Ai, meu Deus, estamos cercados de lixo!…

     Ouviu-se uma voz esquisita vinda da superfície:

     - Outra vez?!… Será que os humanos não aprendem?… Eu sou um caixote para o lixo orgânico, não para lixo reciclável!…

     Quando os golfinhos ouviram estas palavras, ficaram espantados.

     - De quem será esta voz? – disse o irmão mais novo.

     Pensaram que podia ser alguém que os poderia ajudar. Então gritaram:

     - Socorro, socorro!! Estamos em perigo!

     Como os golfinhos têm uma boa audição, o golfinho brincalhão ouviu este pedido de ajuda e foi na sua direção. Chegou lá, mas reparou que não poderia atravessar todo aquele lixo para salvar a sua família, pois podia ficar preso…

     Havia uma baleia azul que era gorda e velha, mas muito sábia. Era a melhor amiga do golfinho. De repente, o golfinho viu uma pequena baleia a passar e lembrou-se que a sua amiga lhe tinha dado um búzio muito especial que, quando era soprado, chamava-a. Agarrou nele e soprou com toda a força!

     A baleia apareceu num abrir e fechar de olhos. Rapidamente, abriu a boca e engoliu o lixo todo e a família do golfinho ficou a salvo.

     A baleia nadou até perto da costa e atirou o lixo, pelo seu espiráculo, para a areia da praia.

     Os alunos da Escola da Coucinheira tinham feito uma visita de estudo àquela praia. Uns estavam a comer um gelado sentados numa esplanada, outros estavam a surfar ou a nadar no mar e outros estavam a apanhar banhos de Sol deitados nas suas toalhas de praia.

     Os alunos que estavam no mar viram algo a passar por cima das suas cabeças. O Martim, que estava a dormir na toalha, levou com uma lata de Coca-cola na cabeça e os outros afastaram-se para não lhes acontecer o mesmo.

     Todos foram a correr para verem o que era aquilo.

     O Filipe disse, admirado:

     - Isto é lixo!

     E a Margarida acrescentou, apontando para o caixote do lixo orgânico:

     - Vamos pô-lo naquele caixote preto.

     - Não!  - disse o Tomás - Isto é lixo reciclável.

     - Temos que o pôr nos ecopontos! – disse o Tiago Gil.

     A professora Benilde e a professora Regina ficaram contentes por os alunos se lembrarem do que tinham aprendido na escola sobre a separação do lixo e disseram:

     - Muito bem, boa ideia!

     Os alunos olharam à sua volta e não avistaram nenhum ecoponto.

     O Pedro e a Maísa lembraram-se do bar onde alguns comeram gelados e foram com o Nuno e o André perguntar ao dono se lá havia ecopontos.

     O dono do bar respondeu:

     - Vocês passaram perto deles. Estão à saída da praia. Eu também os uso, porque tenho que fazer a separação do lixo do bar para depois ele ser reciclado.

     O Diogo Domingues disse, contente:

     - Ainda bem que o senhor cuida do ambiente!

     Eles voltaram para juntos dos colegas e todos começaram a apanhar todo o lixo e levaram-no para junto dos ecopontos.

     Quando lá chegaram, colocaram as embalagens de plástico e metal no ecoponto amarelo (embalão), as garrafas e frascos de vidro no verde (vidrão), os jornais, revistas e embalagens de cartão no azul (papelão) e as pilhas no vermelho (pilhão).

     A Jacinta disse:

     - Parece que há muitas pessoas que ainda não sabem que se deve separar o lixo…

     O Fábio e a Eduarda deram uma sugestão:

     - Vamos fazer um cartaz para colocar ao pé do caixote do lixo orgânico e dos ecopontos a ensinar o que devem fazer!

     Todos disseram:

     - Boa ideia!

     A Catarina, o Diogo João e o Micael foram pedir ao dono do bar canetas e embalagens de cartão que ele já não precisasse e puseram mãos à obra.

     O Alexandre, a Eva e o Tiago Rosa afixaram o cartaz e apareceram logo algumas pessoas que, depois de lerem, colocaram o lixo que traziam nas mãos nos caixotes corretos.

     O golfinho e a sua família estavam no mar a ver tudo. Ficaram muito agradecidos pela ajuda da baleia e dos alunos da Escola da Coucinheira. Acenaram a agradecer e despediram-se.

     Os golfinhos juntaram-se aos outros animais no fundo do mar e disseram, todos contentes, estes versos:

     - A poluição foi para a prisão

     E nós os animais marinhos

     Ficámos todos amiguinhos!

                                    Os fabricantes de histórias

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.